Integrantes

Natural de Munique, Alemanha, Alois Hoffmann conheceu o Brasil através da Oktoberfest, quando era músico da Nussel Birq-Buam, em 1986. Veio para a festa várias vezes, começou a namorar uma fã blumenauense e acabou definitivamente no Brasil em 1992, ano em que ingressou na Cavalinho. Sua formação inclui saxofone, clarinete, violão e piano.

Blumenauense, Marco Aurélio Reis aprendeu a tocar bateria com o pai, que também era baterista da Orquestra Magnata. Participou de algumas bandas de garagem e profissionalizou-se na Cavalinho, onde está e é o mais antigo da banda, desde 1990.

Ivan D. Luciani (Picapau) nasceu na cidade catarinense de Luís Alves, embora more em Blumenau desde o primeiro ano de vida. Através do incentivo de seus tios começou a tocar acordeon. Em função de sua performance, fez diversos trabalhos solos em bares da cidade e apresentações em bandas como a Kauana e Barril. Integra a Cavalinho desde julho de 2005.

Eraldo de Almeida (Dinho) é o baixista do grupo. Atuou na Cavalinho durante seis anos, de 2001 e 2006. Saiu para trabalhar em outros projetos, mas está de volta oficialmente desde o dia 1º de agosto de 2008. Gosta da banda porque o clima entre os integrantes é excelente e também por conta da aceitação do público.

Luciano Victorino da Costa toca trombone e barítono desde agosto de 2007 na Banda Cavalinho. É natural de Blumenau e gosta de ser um dos integrantes desse grupo pela união, alegria e amizade que um tem com o outro. Para ele tocar na Cavalinho é uma prestígio.

Marcello Evangelista Soares é guitarrista, com carreira dedicada a musica há muitos anos e passagem por bandas de bailes bastante conhecidas.

Edson Samuel Pereira Sevegnani - Trompete (2008) e Maicon Santos – Sax e Sax Barítono (2014) são outros dois dedicados integrantes da Cavalinho. Aliam sua experiência e dedicação à alegria da banda que agita o Brasil com muito pop e germanidade em seus arranjos.

Thomas Riole, o mais novo integrante da banda, ingressou em 2014. Natural de Concórdia/SC, mora atualmente em Blumenau/SC. Em sua vida musical, já passou por diversas experiências em outras bandas, com gravação de suas composições por outros artistas e direito a carreira solo na música sertaneja.

As duas dançarinas que ensinam as coreografias também são parte integrante desta história. Nos shows, acompanhar as beldades é como uma agradável terapia.