Historia

A experimentação é uma das marcas da Banda Cavalinho, a maior referência de animação de público em toda a história da Oktoberfest, de Blumenau (SC). Criada há quase 04 décadas para entreter os clientes de um tradicional restaurante blumenauense, que inclusive deu nome ao grupo, a banda passou por transformações ao longo de sua existência não esquecendo sua essência alemã. Inicialmente seguia a linha germânica tradicional, e com a passagem de gerações de músicos se transformou no que é hoje: moderna, atual, alegremente brasileira, mas com um forte sotaque alemão, levando alegria através das danças e coreografias denominadas “Chucrute Music”.

A batida de antigas bandinhas típicas agora ganha acordes de guitarra e uma aproximação maior ao rock. Receita para um sucesso que leva multidões a cada show, sejam eles durante a maior festa da cerveja da América Latina, a Oktoberfest de Blumenau, ou eventos variados pelo Brasil.

No palco estão nove experientes músicos e duas bailarinas. A Banda somada a equipe técnica aproximam-se de 20 pessoas. Fora o suporte de profissionais de comunicação, estilo e produção. Em duas horas de show há espaço para coreografias agitadas que embalam pessoas das mais diferentes idades, repertório variado (do germânico ao pop mundial), efeito de luzes e interação total com a platéia.

O novo vocalista, Thomas Riole faz duo com o vocalista Alois Hoffmann, alemão de nascença e brasileiro por opção, leva no sotaque carregado um pouco do que é o Sul do Brasil: uma pequena Europa brasileira. Cultura que se une, e não se choca, à diversidade de hábitos e tradições de um país tão grande quanto o Brasil. Desta forma nasceu o estilo reverenciado por onde passam: “Chucrute Music”.